domingo, 30 de novembro de 2014

Annabela Rita e Dionísio Vila Maior no Centro de Língua Portuguesa

No Centro de Língua Portuguesa decorreu nos dias 24 e 25 de novembro um curso intensivo sobre literatura e culturas portuguesas. Com uma duração de oito horas teve o seguinte programa:
1º Seminário (Profª. Doutora Annabela Rita)
"A Literatura Portuguesa do século XIX. Do Romantismo ao fim de século"
Resumo: Percorrendo textos representativos da Literatura Portuguesa Moderna (Séc. XIX), do Romantismo até ao fim-de-século, a lição procurará destacar uma trajetória da reflexão identitária nacional, estética e cultural, marcada pela revisão da tópica mais pregnante da sua mitologia, pela revisitação dos lugares da memória coletiva: de Viagens na Minha Terra (1846), de Almeida Garrett, à Pátria (1896) de Guerra Junqueiro, passando pela evocação de textos de outros autores (Camilo Castelo Branco, Júlio Dinis, Eça de Queirós, Cesário Verde, António Nobre). Um ciclo de refundações com metamorfoses da auto-representação.


Annabela Rita é professora na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa onde exerce a função de diretora do curso de Estudos Portugueses, coordenadora do CLEPUL (Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias), Presidente do Instituto Fernando Pessoa- Língua Portuguesa e Culturas Lusófonas, presidente da APT (Associação Portuguesa de Tradutores), Presidente da Assembleia Geral da COMPARES (International Society for Iberian-Slavonic Studies e Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Observatório da Língua Portuguesa. Integra as Direcções da Associação Portuguesa de Escritores e da Sociedade Histórica da Independência de Portugal. Tem a direcção de várias colecções ensaísticas e da revista Letras Com(n)Vida, da consultoria científica de revistas nacionais e internacionais e da biblioteca online de filosofia e cultura Lusosofia, da edição prefaciada de autores nacionais consagrados, de vasta colaboração dispersa em Portugal e no estrangeiro, com frequente participação em júris de prémios literários nacionais e internacionais.
É autora de diversos livros nomeadamente: Luz e Sombras no Cânone Literário (2014); Focais Literárias (2012); Paisagem & Figuras (2011); Cartografias Literárias (2010, 2012); Itinerário (2009); No Fundo dos Espelhos (2 vols., 2003-07), Emergências Estéticas (2006); Breves & Longas no País das Maravilhas (2004); Labirinto Sensível (2003); Eça de Queirós Cronista. Do "Distrito de Évora" (1867) às "Farpas" (1871-72) (1998).


2º Seminário (Prof. Doutor Dionísio Vila Maior)
Tópicos:
1. O Modernismo português e a Geração de Orpheu: uma leitura dialógica
2. Do Orpheu à Presença
3. O Surrealismo em Portugal


Dionísio Vila Maior é professor da Universidade Aberta, Professor-Investigador da Université de Paris - Sorbonne (França) e Professor-convidado na Universidade de São Paulo (Brasil), Universidade Marie Curie (Polónia), Universidad Autónoma de Madrid (Espanha) e Università degli Studi di Napoli "L'Orientale" (Itália). É Presidente (em Portugal) da Comissão Organizadora do Congresso Internacional 100/Orpheu, que se realizará em 2015, na Fundação Calouste Gulbenkian, no Centro Cultural de Belém e na Universidade de São Paulo. Para além das letras tem feito igualmente carreira na música. Autor de cinco DVD musicais e dois CD de música coral. Com prémios de Produção Científica e Produção Musical, é autor, harmonizador vocal e/ou orquestrador de mais de 160 obras musicais. Atualmente, é maestro do Coro Mozart.
Algumas publicações académicas: Fernando Pessoa: Heteronímia e Dialogismo (1994); Introdução ao Modernismo (1996);Pessoa, Sá-Carneiro e Almada: Representação Estético-Ideológica (2000); Fim de Século ao Primeiro Modernismo Português: Poemas, Textos Teórico-programáticos, de Reflexão e de Imprensa (2000); Literatura em Discurso(s). Saramago, Pessoa, Cinema e Identidade (2001); A Geração de 70 e a Geração de Orpheu: Portugal em Questão (2001); Diálogos literários luso-brasileiros (2002);Literatura e Fim de Século (2002); O Sujeito Modernista: Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, Almada Negreiros e António Ferro: crise e superação do sujeito (2003); O Modernismo Brasileiro (2005 [E-book]); Uma introdução às Literaturas Africanas de Expressão Portuguesa (2006 [E-book]); A Revivência dos Sentidos — Estudos de Literatura Portuguesa (2009).

Sem comentários:

Enviar um comentário