segunda-feira, 10 de março de 2014

É uma dança sensual…Kizomba!

Antes de ir a Portugal nunca tinha ouvido este nome. Kizomba? Estás a pensar em zumba? Salsa? O que é isso? Não percebo! Não conheces? Então repara, é outra coisa, outra dança.
Francamente quando vi pela primeira vez esta dança, fiquei um pouco chocada talvez porque seja muito sensual e íntima, embora parecia um pouco como salsa ou bachata. Apesar disso as pessoas que estavam a dançar, não tiveram nenhuma vergonha destes movimentos lentos, lentos e rápidos marcados por uma batida forte em ritmo 4/4. Temos de ter algumas capacidades e influências no corpo para dançar kizomba, é óbvio. É uma dança com coração africano, com ritmo de terras angolanas, mas quase adotadas como uma dança portuguesa. Nasceu em Angola nos anos 1987-1988 e muitas vezes pode ser confundida com “zuok”, porque tem um ritmo semelhante.
 Na Polónia participei muitas vezes em festas ou aulas de dança, onde podia ver e tentar dançar, por exemplo, salsa ou bachata. Lembro-me de uma noite com as danças latinas e africanas numa discoteca aqui em Lublin. Sim, as pessoas dançavam bastante bem ou... aparentemente,  no entanto sem alguma emoção. Porém lembro-me ainda melhor do que vi em Portugal alguns dias depois da chegada. Ou melhor – o que via quase todos os fins de semana. Os casais dançando na discoteca, mas não ao ritmo das canções de Pitbull ou DJ Techno, mas puramente danças de salão. Na Polónia também vejo as mulheres que dançam muito bem. Mas os homens? Numa discoteca? Não há muitos assim e não podia parar de observar! Cada homem pode mexer-se e é capaz de conduzir a dança. Uma surpresa enorme, pelo menos para mim. Além disso quando comecei a ter aulas de kizomba, o mais importante que tive de fazer foi relaxar-me no ritmo. Foi um prazer, mas também o esforço imenso porque não sou dançaria profissional. Mas mesmo que tentasse, nunca alcancei e nunca alcançarei o nível de por exemplo os cabo-verdianos, que têm o ritmo de kizomba no corpo e podem dançar durante muito tempo sem conhecer muitos passos diferentes, fazendo só um passo basicamente, mas dançam melhor de que alguns instrutores de dança. Os artistas mais conhecidos que fazem são por exemplo Nelson Freitas ou Anselmo Ralph. O que me surpreende ainda mais é o facto, de que a kizomba, além dos países lusófonos, é conhecida em mais três países: França, Reino Unido e... a Polónia! Por isso, como tenho tantas saudades, parece que só me resta inscrever-me nas aulas em Lublin.
Anexo uma ligação ao filme de Faro do clube Património, onde em cada fim de semana se dança kizomba! 

Aleksandra Guz
2º ano de Estudos Portugueses

Sem comentários:

Enviar um comentário